domingo, 9 de agosto de 2009

Ser Pai




Ser pai é ter a humildade de ser coadjuvante numa peça em que o novo astro ou estrela, vai depender muito de seu talento e experiência.


É acompanhar com encantamento e enlevo o novo artista, mesmo quando ele parece roubar a cena, o tempo e o coração de sua amada.


Às vezes é resgatar de um outro projeto e adotar essa criaturinha para atuar ao seu lado,sem fazer distinção qualquer quanto ao curriculum ou a companhia de onde ela possa ter vindo.


É perder o sono, fazer planos, enxergar-se nos traços, nos abraços, nas piruetas e trapalhadas...


É rir e se emocionar diante da possibilidade de resgatar em si mesmo o menino quase esquecido diante dos dramas da vida, para voltar a ser criança. Bancar o pirata,o herói,o palhaço, o dragão.Fazer cara feia, rindo por dentro, da esperteza de seu pupilo.


É vê-lo crescer, ganhar o mundo, ampará-lo sem podar sua iniciativa.Educá-lo e transmitir seus valores sem impedir que ele agregue novos valores e conceitos ao seu próprio roteiro.


É ter medo demonstrando coragem...


É ter coragem para admitir erros e falhas. Ter bondade e amor para suplantar as possíveis decepções. Aceitação...


Ser pai é assumir um papel importantíssimo.É formar novos atores para recriar o teatro da vida.


Sempre dá certo e a única receita plausível é trabalho e amor! De preferência muito amor.


E quanto a nós filhos resta abraçar,agradecer e dizer: obrigada pai!Eu amo você!
*(foto do meu pai com o netinho Fê.Lindos!!!)

Nenhum comentário:

Postar um comentário