Pesquisar este blog

quarta-feira, 28 de junho de 2017





Quem há de encontrar o mar, quem há?
Quem há de desencontrar?
Quem há de beirar as lágrimas,
E as mágoas do mal de amar?


Quem vai naufragar na vida,
quem vai desistir da lida,
Quem nunca vai ancorar?

Quem vai buscar a fé perdida
No colo de Iemanjá?

Mãe das águas, mãe do mundo
Rainhas do encantado
Teu povo anda tão cansado
Com olhos de imensidão...

Recolhe a flor dos nossos sonhos
Dessalga a couraça do lombo
Desagua nosso coração
Devolva-nos em clarão de lua
Cantigas de maré e pão...

(Edilene Santos)
30 de março de 2017

quinta-feira, 13 de fevereiro de 2014

A CORUJA

No fio da noite a coruja sonha
Com os olhos abertos da sabedoria
No fio da noite a coruja pia
Com as asas do sonho de filosofia
Nas asas da noite a coruja fia
O voo aberto pra um novo dia...

No dia, no açoite, na noite fria
Notívaga coruja se principia
No cismar diuturno de sua vigia
Guardiã da noite, parceira do dia.

Cobra, serpente, mulher, sabedoria
Noite profunda, aconchego, poesia
Homem, semente, sol e novo dia
Tudo, tudo, a coruja presencia...

No fio da noite, no raiar do dia
Guardiã do templo da Estrela Guia...

(Edilene-  SP 13/08/2006)












quinta-feira, 13 de setembro de 2012

Nasci diamante bruto,volto um dia, mero grão de areia: não vim lapidar-me para a ostentação...

(Edilene Santos-13\9\12)

quarta-feira, 12 de setembro de 2012



A mente daquela criança,
era de tal forma especial
que só sonhava
em tempo integral...

segunda-feira, 6 de agosto de 2012

Em 6 de agosto de 1945,Hiroshima foi cruelmente bombardeada.
Muitas pessoas estavam dormindo...
E nós?
Estamos acordados?

(Edilene Santos-6\8\2012)

terça-feira, 10 de julho de 2012


Inequações do amor

Eu te amo tanto e infinitamente
Tanto quanto me seja possível
Amar passado futuro e presente
No quântico elixir presumível
Da exatidão de cada semente...

Eu te amo tão significativamente
Quanto o princípio e o fim plausível
Do rastro luminoso da estrela cadente.

Eu te amo tonto e tão cegamente
Quanto o raio do sol nascente
Nos olhos do espírito inaudível
Clamando a aurora incandescente.

Eu te amo na simplicidade dos olhos
No complexo emaranhado da mente
Eu te amo no jogo das palavras
Nas mãos trêmulas e indolentes...

Eu te amo tanto e sei tão claramente
Tanto quanto me seja permitido
Que por mais que eu tenha vivido
Nunca se esgotará totalmente...

Edilene Santos

(SP 09 de julho de 2012)


quinta-feira, 21 de junho de 2012


FACEBOOK IS ON THE TABLE


De repente não mais que de repente...

Fez-se o FACE, feito um verso de repente
Fez-se busca,fez-se samba,fez-se gente
Fez-se briga, discussão e combatente
Fez-se som e fez-se foto e fez semente.

De repente não mais que de repente...

Fez-se o FACE feito um verso de repente
Fez fumaça, fez-se sombra e fez dormente
Fez-se a face do famoso e do inclemente
Fez-se a fossa, a paixão e o doente...

De repente não mais que de repente...

Fez-se o FACE feito um verso de repente
Fez-se o vício, fez-se a festa e o presente.
Fez-se a troça, a denúncia e o prepotente.
Fez-se fofoca, fez-se a glória e o sol nascente.

Nasce assim o que já nascido espera somente
Que se curta, compartilhe e se comente:

Não nasce o FACE do nada
Não nasce o nada do FACE
Nem vem assim tão inocente.

The face is on my mind
É o FACE em minha mente.

Somos parte,somos tudo,somos nada
Desavisados só mais fáceis ferramentas...


(Edilene Santos-21 de junho de 2012)